Filme sobre gastronomia e chefs pernambucanos ganha prêmio em Hollywood

(13 de fevereiro de 2017)

Bookmark and Share

 

Falar sobre um filme que acaba de ganhar um prêmio de Hollywood é tarefa difícil…

Isso mesmo, decease o filme BRASILEIRO, do cineasta Ricardo Rossi, “Atum, Farofa & Spaghetti”, acaba de ganhar o prêmio em HOLLYWOOD, de melhor de Melhor Filme em Língua Estrangeira no Hollywood International Independent Documentary Awards. E ainda está na final dos prêmios de Melhor Documentário em Língua Estrangeira; e Melhor Diretor em Língua Estrangeira, no London IFF 2017 – Internacional Filmmaker Festival of World Cinema, Londres, Inglaterra e Melhor Diretor em Língua Estrangeira no Director’s World International Film Festival (DWIFF), Nova Delhi, Índia.

Não é pouca coisa não! Genteeee, é HO-LLY-WO-OD!!!!. E o feito é para ser comemorado com muita vibração e entusiasmo! Principalmente porque o filme não só é brasileiro, mas é rodado em parte aqui em Pernambuco, trazendo toda a verve da gastronomia pernambucana, com registros muito legais de nossa cultura culinária.

A película traz a história dos chefs pernambucanos, André Saburó, Duca Lapenda e Joca Pontes, que vão atrás de suas raízes e influências culinárias. Joca, que trabalhou na França, no estrelado (1 estrela Michelin) restaurante parisiense, Ze Kitchen Galerie, recebe um convite para fazer um jantar brasileiro por lá e convida seus amigos também chefs, Duca Lapenda e André Saburó. Depois da França, seguem para a Itália, para conhecer a vibe italiana do chef Duca e as raízes ancestrais de Saburó!

O filme é em estilo road movie, ou seja, uma câmera na mão, sempre em movimento, de um lado para outro, acompanhando uma viagem. No caso, a viagem, ou melhor, a aventura dos três personagens em países de tanta profusão e diversidade culinária.

Mas, poderia ser também um reality show, por que não? Já que o diretor do filme deixou as coisas rolarem soltas, com os chefs bem à vontade, bem naturais, expressando opiniões, sentimentos verdadeiros (ansiedade, medo, alegria, emoção, expectativa de fazer o melhor) daquilo que estavam vivenciando… E, fazendo o que mais gostam: cozinhando! Mandaram muito bem nas panelas, nas criações. Aliás, arrasaram  na França e mostraram a todos, a sua arte e a potência dos sabores pernambucanos!! Fascinando a todos com seu talento, sua luz e seus encantos culinários!

Chefs artistas, que mandaram muito bem nas cozinhas por onde passaram, sobretudo, quando se tem em conta o fato de estarem cozinhando sob a pressão dos bastidores de um restaurante estrelado. Isso, na França, é algo que os brasileiros não podem mensurar… Parecia até que todos, os pernambucanos e os franceses estavam mesmo era se divertindo!  A sensibilidade do roteiro, quase em tom confessional, deixa aos espectadores, por outro lado, a face de que chefs são também pessoas normais, numa visão mais humanizada…

A sacada é mesmo genial, digna do prêmio que arrebatou (e de muitos outros que certamente virão), pois, além de conjugar o estilo road movie, com reality, é um documentário arrebatador sobre a gastronomia pernambucana, o trabalho desses incríveis chefs e a culinária dos países visitados, Japão, França e Itália!!França e Itália com sua devoção ao produto e à perfeição; Japão com uma relação com a comida quase sagrada…

Mais genial ainda já que se revela um milagre econômico e técnico. Primeiro porque custou, até o momento, apenas R$ 180 mil reais, o que é um orçamento muito baixo para filmes. Segundo, nas viagens, só contavam com os chefs e mais duas pessoas para filmar, conceber roteiro, pesquisar editar tudo! Apenas Riccardo, o cineasta-diretor-camera-roteirista-faz-tudo e sua assistente e também diretora de fotografia, Marina Brito.

A película é linda, a fotografia, delicada e primorosa, a trilha sonora, escolhida a dedo, com muita delicadeza, torna tudo muito, muito mais arrebatador. E, claro, enche qualquer pernambucano de carteirinha (como eu, rsrsrsrs…) de orgulho!!! Fiquei emocionada com tanta densidade e simbolismo, com a alma escancarada da culinária pernambucana.

Coisa de quem põe a alma e o coração no que faz… Esse “quem” é Riccardo Rossi, com quem tive o prazer  de bater um papo e ouvir mais sobre essa aventura. Ele é cineasta italiano, também produtor, diretor e  roteirista do filme. O trabalho é fruto de sua paixão por Pernambuco, dos tempos que aqui morou por 5 anos!…  E do desejo de documentar e revelar para o mundo essa irmandade entre chefs que só a locomotiva da gastronomia pernambucana tem. De documentar e expor quão vibrante e quanta diversidade há nessas paragens! Mais do que imagens fotogênicas, tudo é fornecido, não só por intuição e pelo “deixa as coisas rolarem”, mas, por entrega, paixão e fruto de intenso estudo  bem aprofundado sobre a gastronomia local!

Sempre tive em mente que as mãos de quem faz uma comida revelam o seu íntimo ser, as suas mais profundas emoções que, sim, podem ser transferidas para a comida. Mas, descobri que essa energia, essa luz também pode ser transmitida em filmes. Eu já assisti com exclusividade, mas espero que chegue logo às salas de projeção de todo o Brasil, para que todos possam conhecer esse primoroso trabalho e um pouquinho mais sobre a nossa gastronomia e esses brilhantes chefs!

 

Bookmark and Share

Escrever um comentário

*