Aldeia Beijupirá parte II: a sofisticação de sua cozinha rústica

(15 de abril de 2012)

Bookmark and Share

É preciso dizer que o DNA da grife Beijupirá está impregnado por toda a parte na Pousada Aldeia Beijupirá, da qual já contei aqui minhas impressões sobre o charme e a delícia da semana que passei por lá…

O local tem seu charme único, estilo e personalidade, uma energia diferente, low profile, mas vibrante, que fazem o jeito Beijupirá de ser…

Contudo, isso não seria completo se não estivessem presentes os aromas e sabores de uma culinária praieira revisitada, reescrita, como, aliás, em todas as casas Beijupirá! A marca registrada.

Na sua cozinha, há um cardápio (lúdico) para ser literalmente vivenciado entre os hóspedes!

É que a gastronomia aqui é parte inerente e indissociável da hospitalidade, que começa a nos seduzir desde o primeiro momento, com umas boas-vindas super original! Depois de umas três horas de estrada, o que você mais quer é se refrescar! Então providencialmente (e propositadamente) somos mimados com um wellcome ice cream de, advinhem de quê?

De capim santo!!! Uau que delícia, refrescante!! É assiiiim, também para dizer bem-vindo ao universo dos sabores e perfumes do Nordeste! Bossa, mimo, carinho, o que seja…

Como era hora do almoço quando chegamos, respeitamos a fome que já dava seus prenúncios e tratamos de ordenar os pedidos…

Uma leve moquequinha de camarão abriu os trabalhos e anunciava o que viria pelos próximos dias! Belo começo!

Como tudo aqui tem sua bossa, repara a pimenta como comparece… Fui direto nela!…

Para adoçar a vida, meu marido foi de Cartola e eu abracei a causa de um delicioso “Chocolate Molhadinho”, cujo bolinho úmido (desmanchava na boca) casava muito bem com o sorvete de tapioca. Apesar de delicioso, a estrela foi sua calda de capuccino e chocolate branco! Surpresa para o paladar… Contraste absoluto de doce e amargo!!!

Good morning, hora do breakfast que estava mais para pequeno almoço, como diria um bom portuga. Capítulo à parte… Merece então uma descrição à altura. Um café da manhã mais que interessante nos cativou, não só pelas delícias, mas principalmente pela forma como era servido: diretamente à mesa (e com direito à repetições!)!!! Um verdadeiro menu degustação de delícias regionais!! Exclusivo para cada hóspede! Personalizado e único! A cada serviço, uma surpresa! Além disso, garantia de frutas sempre frescas, coisas quentinhas sempre à mesa, diferentemente de buffets de hotel, onde quem acorda tarde invariavelmente iria encontrar tudo revirado e ressecado… Para a gente se sentir único mesmo!… Vai chegando tudo na mesa, um atrás do outro, vejam só que desbunde…

Aguinha fresca e cheia de graça era perfeita para o desjejum…

Frutas: mil e uma! Sucos deliciosos e feitos de fruta fresca, para escolher o sabor… Em seguida, iogurte da casa (levinho e azedinho) escoltado por uma granolinha crocante… Hum!

Queijo coalho com capinha crocante e pão com ovo (literalmente). Adorei a ideia criativa de fazer do pão de caixa (bem assadinho e torradinho) uma forma para a cocção do ovo no seu interior!

Pães da casa, cuja massa era substanciosa e crocante por fora, como tem que ser! Eram feitos na hora e entregues ainda quentinhos… Faziam a manteiga dançar ao derreter… A sambadinha se completava com o trio de mel e geleinha caseira que variava de sabor a cada dia: de maracujá, de abacaxi com manjericão etc… Ah, e sem serem muito doces para deixar sobressair o sabor da fruta… Mestre-sala e porta-bandeira!!…

Tapioca? Claro ela jamais poderia levar falta! Viciei nessa daí de côco, crocante e torradinho por dentro com leite moça se esparramando… Ai que imoral!! De fazer chorar… Eu queeeerooo!

Um bolo diferente a cada dia. Espia esse de macaxeira… Personalidade e delicadeza… Teve de chocolate, de frutas etc, todos feitos no dia…

Bem, até agora só falei do básico, do que estava presente todo dia… Pois, pois, tinha as variantes de cada dia: num dia uma mini pizza, no outro, waflles,  depois, arroz doce, essas charmosas mini panquequinhas…

Depois desse café-banquete, que, no primeiro dia, atolamos mesmo o pé na jaca, porque vai chegando automaticamente à mesa e, sem perceber, a gente vai comendo…  (nos dias seguintes, fui mais seletiva e escolhia alguns dos itens do menu), então não havia espaço para almoço…

Aí, lá pelas tantas, depois de muito torrar no sol, resolvemos apenas petiscar para enganar até o jantar… Assim, camarão empanado no côco fresco, com molhinho de capim santo, que parecia mais uma emulsão!!! Refletiam a natureza generosa dessa cozinha… Delicadeza e fantasia…

Depois de alguns dias só comendo camarão, enjoei dele. Vê se pode? Abusada essa blogueira, não? O jeito foi se abraçar nas carnes muito bem executadas do cardápio… Ou, para variar, ir conhecer o cardápio de outras pousadas ou de restaurantes locais (a seguir, cenas dos próximos capítulos…). So, filé ao molho de vinho com aroeira e arroz de pimentão amarelo, com rosti de batata…

Só para variar, almocinho na beira da piscina: ensopadinho de aratu… Chega de só olhar paisagem…

Na praia, não poderia faltar o filé de agulhinha, aquele peixinho do qual já discorri aqui no blog, que só tem por essas bandas de águas calientes, de sabor único, que eu amooooooo!!! Claro, não seria Beijupirá se não tivesse um quê a mais, ou seja, leia-se, um incrível vinagrete de manga e pimentão vermelho… Indefectível! Croc!

Quando entrei, não podia deixar passar em branco a sobremesa: Aussuba era o nome do dengo apaixonante. Um crepe de filhós, adornado por sorvete de côco, farinha de castanha perfumada na cachaça e mel de engenho. Um exemplo da conjugação perfeita de sabores, perfumes e texturas, marca registrada da grife Beijupirá… Se em Tupi, Aussuba significa amar, eu ameeeeiii!!! Huuummm! Dica da simpática e fofa Suzana Façanha, coleguinha, estudante de gastronomia, que assuntava com as panelas da cozinha de Adriana Didier, e nos envolvia com seus sabores… Valeu!!!…

Alguém aêêêêê tem a mania de deixar o melhor pedaço por último? Eu teeenho!

Mas, foi por acaso que a cereja do bolo veio no último dia!!! Ele atendia pela alcunha de “Poty Provençal”, um camarão carnudo, perfumado com manteiga de alho, com capinha crocante de farinha de mandioca perfumada com azeite e salsa, magistralmente escoltado pelo que considero o faixa preta dentre todos que degustei: um provocador arroz molhadinho de passa de caju… Atitude e sabor! Um it food! Um hit, eu diria…

Justo no dia em que a decoração estava mais que caprichada… Como já falei aqui, a “Aldeia”, à noite, se veste das mais variadas matizes de amarelos e dourados… Belo presente de despedida!

Bem, aqui o valor do nosso pomar tropical é salientado e exacerbado pelo menu de aromatização com diversas especiarias. Entretanto, é preciso registrar que não há clichês nessa mistura de agridoces! Não se enquadra em qualquer rótulo… Tudo muito original e delicioso!

Hóspedes e gourmets são presenteados com personalidade e alma próprias, acolhidos como convidados de honra!

Aí, quando tudo vira lembrança, tive a certeza de que aquelas férias foram escolhidas a dedo. Comer (bem) e dormir! Quem não gosta?…

POUSADA ALDEIA BEIJUPIRÁ

Praia do Laje – Porto de Pedras

Alagoas – Brasil

Fones: (82) 3298 6520 – (82) 9652 1918 – (82) 9135 3510 – Fax:(82) 3298 6500

http://www.aldeiabeijupira.com.br/home.html

COMO CHEGAR

 

Bookmark and Share

4 comentários to “Aldeia Beijupirá parte II: a sofisticação de sua cozinha rústica”

  1. Que delícia hein Renata!
    Que maravilha que você gostou da estadia na Aldeia, vamos marcar de jantar no Beijupirá Olinda qualquer dia desses, foi ótimo conhecer você.
    Beijos

  2. Olá Renata, que ótimo que você gostou da estadia da Aldeia, é mesmo uma delícia aquele lugar, morro de saudades daquele mar, quero voltar como hóspede pra me deliciar!
    Vamos marcar um jantar pra você conhecer o Beijupirá Olinda, estou morando lá pertinho! o que me dizes?
    Beijos.

  3. Tb adorei lhe conhecer. Vc é muito simpática!!! Claaaarooo, podemos marcar sim qualquer dia desses. Deixa passar as provas, que já tô ficando doida…

    A Aldeia Beijupirá, nem se fala e com vc no comando, ficou melhor!! Não sei se vc percebeu que eu citei seu nome lá no post!!!

  4. Claro que vi!!!
    Vamos marcar nossas visitas gastronômicas então!
    beijos querida!
    muita aussubaaaaaaaaaa!!! 🙂

Escrever um comentário

*